Ruy Roberto Ramos*

Gosto muito de fotografar, embora hoje não o faça tanto, talvez por falta de tempo.

Viagens, festas, reuniões de família, de amigos e lá estava eu com a minha câmera registrando os melhores momentos desses eventos, principalmente os inusitados, modéstia a parte, minha especialidade. A reação das pessoas ao sentirem que foram flagradas em uma fotografia num momento de espontaneidade é muito engraçada: uns riem, outros xingam, alguns perdem o rebolado, outros perdem a amizade com você. E interessante notar que, numa foto com “pose”, como dizem, aquela em que a pessoa se arruma para ser fotografada, as reações também são as mais inusitadas possíveis: “Olha, pega o meu lado direito que fica melhor…”, “Espera! Espera! Vou passar um batonzinho!”, “Tira só do meu rosto, tá? Tô gorda demais…”, “Não deixe dar brilho na minha careca, heim?”, “Dá para esconder a minha barriga?” Acho essas reações fantásticas, porque cada um de nós busca melhor maneira de aparecer numa foto, muito para nos vermos bem e muito mais para que os outros nos vejam bem. Em suma, cada um cuida para que a sua imagem seja a melhor possível, principalmente para as outras pessoas.

E você empresário, está cuidando vem da imagem da sua empresa? Qual é o “retrato” que os consumidores têm da sua empresa atualmente? Se você nunca pensou nisso ou se não tem pensado muito nisso atualmente, veja o que diz Madia de Souza em seu livro “Os axiomas do Marketing”, sobre o assunto: “O único valor definitivo do marketing é a imagem que uma empresa, produto ou marca, for capaz de plantar no território onde se travam todas as guerras e batalhas do mundo dos negócios – a cabeça das pessoas”. Atualmente, uma boa imagem é considerada patrimônio para qualquer tipo de empresa. Conquistar um excelente “share of mind”, ou seja, ocupar um espaço na cabeça dos consumidores é, com certeza, manter um excelente posicionamento no mercado.

Como se consegue isso? Qual é a mágica para apresentar o “melhor ângulo” da sua empresa para os seus consumidores? Tudo começa com um bom planejamento de marketing. Como afirma Carmen Altéz Martins, em “Marketing e Turismo”: “O planejamento de marketing é uma necessidade imposta pela crescente complexidade de um mercado cada dia mais competitivo. O planejamento não garante o êxito, mas contribui para reduzir consideravelmente as possibilidades de fracasso”. Conhecer a fundo o mercado em que sua empresa atua, seus concorrentes, seus consumidores, com suas necessidades e seus desejos, pode garantir o êxito de seu empreendimento e abrir excelentes oportunidades para fazer a sua empresa crescer e se estruturar de maneira mais sólida. Acompanhe o mercado, sinta as suas tendências, ouça os consumidores – suas criticas, seus elogios, entenda as suas necessidades. Não se esqueça nunca que as pessoas são diferentes, cada uma delas tem as suas preferências individuais e esse detalhe tem que ser considerados e respeitados. Embora consumam os mesmos produtos, as mesmas marcas e prefiram a s mesmas empresas, os consumidores nem sempre tem as mesmas razoes de compra. Exemplificando: uma pessoa, pela primeira vez, vai a um restaurante ou hospeda-se em um hotel. Ela pode repetir a sua escolha e tornar-se cliente da empresa por muitos motivos diferentes – gostar da comida, do lugar, da decoração, da musica, do estacionamento, do serviço oferecido, do ambiente, do “clima”, do garçom, do maitre, do caixa, da recepcionista, do setor de reservas, da forma de pagamento, dos freqüentadores… “ufa”!!!… e de outras dezenas de motivos, que se fosse enumerá-los, precisaria de um espaço muito maior do que este artigo. O importante é ter a certeza de que, para conquistar os consumidores e transforma-los em clientes fieis, deve-se atendê-los em todas as suas necessidades e desejos de maneira excelente, em todos os itens. E para conseguir isso é só prestar atenção na maneira que as pessoas olham a sua empresa, na imagem que esta tem perante o público consumidor.

Faça algumas perguntas como “Será que minha empresa está gorda demais? ou “Não estaria precisando de uns retoques, um batonzinho, por exemplo? ou ainda, “Minha barriga é comprometedora”? As respostas, se positivas, exigem uma mudança de ângulo na sua imagem e, para isso, o melhor ângulo é a visão dos seus consumidores. E aí, com certeza, você conseguira os caminhos certos para melhorar e garantir a “fotogenia” da organização. Garanto que na próxima foto, a imagem da sua empresa vai sair muito melhor, de qualquer ângulo, e sem precisar de retoques.

*Ruy Roberto Ramos é consultor na área de Marketing e Propaganda e Professor da UFES – Universidade Federal do Espírito Santo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.