Por: Rosimara Marinho*

Pode parecer utopia, algo irreal, mas, o que ocorre é que o talento nasce em todos os seres humanos…

…mas, não é em todos que ele vem à tona.

O que muitas vezes acontece é que numa certa fase da vida o dom reaviva, ou melhor, transcende naquele que é criança, jovem, adulto ou idoso. É freqüente acontecer à descoberta dos talentos em dias que nem sempre são considerados dias de alegrias.

Durante este período em que conheci muitas pessoas em variadas situações e com a abordagem sobre o mesmo assunto, e com o mesmo objetivo – o de disseminar o talento da terra – pude observar que nos momentos de tristezas, dor e refúgio também são descobertos os dons que, por vezes, durante anos ficaram esquecidos ou sequer foram descobertos.

Um exemplo disso é o caso de pessoas talentosas que hoje ensinam outras a praticarem arte, e um dia foram capazes de dizer que não sabiam fazer nada.

Percebi que por meio da dor, seja ela física mental e/ou espiritual as pessoas que são consideradas por mim corajosas e audaciosas vencem-na através da descoberta do talento em si.

E se você pensa que não sabe fazer nada diferente do trivial, e que não tem dom para praticar nenhuma arte, saiba que mais cedo ou mais tarde, num momento ápice de alegria ou até mesmo na dor e/ou tristeza você pode descobrir em si um grande artista.

E eu gosto sempre de frisar que a arte é algo amplo e com o significado do saber fazer alguma coisa, no entanto, um singelo ato de sorrir a todos sem nem ao menos conhecer e transmitir a paz e a serenidade é uma arte por mim considerada a mais bela das artes.

*Rosimara Marinho é especialista emMarketing, graduada em Jornalismo e Apresentadora do programa Talentos da Terra de set./07 a abr./08.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.