Confira mais sobre a rodada da semana com o colunista Matheus Brasil em mais um resumão futebolístico!

No Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, o Guarani recebeu o Fla e o jogo começou quente. O Flamengo dominava a maioria das ações ofensivas, nem parecia o Flamengo de 2010. Logo aos 5, um susto: Diogo quase torceu o pé, mas voltou. Voltou bem, diga-se. 6 minutos depois chutou no canto da meta do time alvi-verde. A essa altura, o Fla já dominava o jogo.

Diogo, que até então, tinha tudo pra ser o salvador da tarde, teve outro indício de torção, aos 28. O Rubro-Negro já diminuía o ritmo, quando o Guarani já tinha duas faltas perigosas. Numa dessas faltas, veio a polêmica: Lomba fez falta em Mazola, em cima da linha (o que faz parte da área). O juiz apitou fora da área. Nada adiantou, afinal Baiano desperdiçou as duas chances do Guarani.

Diogo já provou que pode agradar. É a esperança?

Já no fim do primeiro tempo, Diogo saiu para dar lugar a Toró. Parecia que o Guarani dominaria de vez o time carioca. Mas, Willians mostrou que não e chutou pra fora quase na pequena área. Foi quando, nos acréscimos, enfim, Jean, depois de um drible de corpo, fica sozinho e mais alto que todo mundo, deu fim ao hamadã de gols do rubro-negro marcando de cabeça.

A parte final teria a mesma tônica da primeira, se não fossem os dois últimos minutos. Renato voltou a chutar pro gol. Pet continuava irreconhecível, errando faltas e até domínio de bola. Juan também está numa fase ruim. Se não fossem Willians, admirado até por Mano Menezes, que estava no Brinco, e Léo Moura, o Fla poderia, sem sombra de dúvidas, ocupar a lista dos quatro últimos do campeonato.

Quando o jogo se encaminhava para o fim, Arilson Anunciação, árbitro da partida e réu-confesso do lance mais polêmico do jogo, deu pênalti num lance na área do Fla. Ricardo Xavier bateu e o confiante Marcelo Lomba desviou a batida com o pé. Outro lance polêmico, aos 46, Geovani, de joelho, bota pra dentro das redes do jovem Marcelo. Dois minutos depois, Reinaldo chuta, a bola desvia em Jean e, caprichosamente, tira Lomba da jogada. É a virada burgrina e festa em Campinas. Aguardemos os próximos capítulos da tragédia flamenguista…

Silas, a dúvida

Silas, ex-Grêmio e Avaí, é o novo técnico da gestão Zico no Flamengo. Fortes rumores indicam que o diretor rubro-negro se viu acuado entre três nomes: Parreira, que declinou frente ao convite do Galinho; Leão, que duvido que tenha recebido alguma proposta concreta; Silas, que aceitou. Silas fez bom trabalho com o fraco Avaí. Enquanto que no Grêmio, foi mal, porém o elenco era limitado e, no vestiário, o técnico não era bem quisto por alguns dos líderes do elenco. Sinceramente, nessa ocasião, qualquer prognóstico é oportunista. Silas é uma dúvida e tanto.

Silas: boa aposta ou mais uma furada da gestão Zico?

Entre os tricolores…

Os modificados tricolores paulista e carioca entraram no Maracanã e realizaram uma bela disputa. São Paulo já tinha finalizado quatro vezes, quando Deco concluiu bela jogada entre Julio Cesar e Conca. 1 a 0, Flu, aos 9. Ainda no mesmo minuto do gol do Flu, a defesa do time de Muricy tirou em cima da linha um chute de Richarlysson. Porém, foi inevitável. Falta contra o Flu, Rogério Ceni na bola, falha de Fernando Henrique e gol do São Paulo. Pera aê… saída de bola, lançamento, falha de Fernando Henrique e… mais um do São Paulo. Fernandão fez aos 38 e deixou 2 a 1 no placar.

Veio o segundo tempo e o ritmo acelerado ficou com o Flu, agora sem Belleti. Rodriguinho, no segundo minuto da parte final, chutou e obrigou Rogério a fazer uma linda defesa a queima-roupa. O Flu começou a pressionar e chegou ao empate com Leandro Euzébio. Pressão do Flu gerou um pênalti mandraque. A bola bateu na mão de Richarlysson e foi marcado pênalti, que Rogério Ceni defendeu. O Flu tentou muito. Foi melhor no segundo tempo, mas ficou por isso mesmo. 2 a 2 e fim de papo.

Renato, a esperança

Após a saída de Silas do Grêmio, a diretoria do clube gaúcho resolveu trazer o filho, nem tão bom assim, de volta para seu lar original. Renato Gaúcho não consegue dar padrão de jogo ao tricolor sulista. Com a bola rolando, Maykon Leite abriu o placar, depois de falha da zaga gremista no primeiro tempo. Vilson empatou na etapa final. Renato, que até então, era a esperança da turma da “Geral”, vê o clima fechando. Será que o ídolo Portaluppi continua sendo a luz? E olha que ele tem experiência em ser rebaixado…

Ex-jogador em atividade

Ronaldo entrou em campo após 112 dias. O Corinthians, trajado de uma bela camisa comemorativa do centenário do time paulista, mediu forças com o Vitória-BA no Pacaembu. Começou o jogo, Ronaldo deu passe em profundidade e já sentiu uma dor. Mas, aos 10, Iarley abriu o placar para a alegria da Fiel e de Ronaldo. Chicão e Alessandro estavam em ótima tarde e davam segurança na defesa corintiana, que sofria ataques do Vitória.

No fim do primeiro tempo, aos 47, Paulinho, depois de uma bela participação de Elias, ampliou: 2 a 0. Arrisco a dizer que o placar mais justo antes do intervalo seria 1 a 1. No ato final, Kleber Pereira, recém-contratado do rubro-negro baiano, diminuiu. Apesar da pressão, o jogo ficou por isso mesmo. 2 a 1, Timão. E Ronaldo, enfim… é um ex-jogador em atividade.

Série interrompida

O Botafogo caiu diante do Internacional no Beira Rio, em Porto Alegre. O placar mínimo conquistado pelo time colorado, através do gol do novo talismã Leandro Damião, não parece ter abalado a fé de Joel Santana. Aliás, o técnico confessou que planejava ter essa derrota. Parece que Joel já sabe o que quer neste campeonato. Se ele planeja ser campeão? Não, porém quer muito a Libertadores. Com a derrota, o Bota teve sua série de quatro vitórias interrompidas.

Caldeirão às avessas

Parece que a torcida cruzmaltina não faz mais jus a um dos versos de uma música entoada por ela mesma. “São Januário, meu caldeirão” não intimidou o Cruzeiro, comandado pelo general argentino Montillo. O golaço do vascaíno Zé Roberto abriu o placar e outro vascaíno, Fernando, fez contra. E ficou por isso mesmo: 1 a 1. O visitante jogou como joga em casa e o mandante jogou como joga fora. Pelo menos, o jogo foi aberto e não parou nenhum minuto.

#ForçaGanso

A hashtag do microblog Twitter já faz sucesso entre os fanáticos por futebol. Paulo Henrique Ganso, que já recebeu alta após a cirurgia feita no joelho machucado, ficará seis meses fora dos gramados. Enquanto isso, o Santos venceu o Goiás no sábado por 2 a 0 e viu também Neymar, outra sensação santista, perder mais um pênalti. O grupo campeão da Copa do Brasil dedicou a vitória ao camisa 10 machucado.

Preferi F-1 e basquete

Aos amigos que notaram a ausência do futebol do exterior aqui, as rodadas dos campeonatos estrangeiros começaram chatas e com poucos gols. Preferi F-1 e basquete até começar a rodada do nosso nem tão amado Brasileirão. Mata-mata era melhor…

One thought on “Coluna Futebol do Brasil: Continua o drama rubro-negro

  1. FRANCISCO BRASIL says:

    O brasileirão vai pegar fogo daqui prá frente quando começar o returno e a F-1 na reta final, vamos acompanhar, vai ser quase um mata-mata.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.